sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Dê uma olhadinha

Meus  novos bules canecas e açucareiros apresentados aos paulistas  pelo  jornal Estado de São Paulo de 28/11/10

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Ceia de Natal

Como em milhões de lares nesse mundo a fora, essa numerosa família está preparando num esforço coletivo e solidário a sua ceia de Natal. Prato principal: "Libelule aux Oranges"
Feliz Natal. 
video

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Chopp para metaleiros

Nunca fui muito chegado aos metaleiros dos séculos XX a XXI, prefiro os dos séculos XVI e XVII, que soam melhor com a minha alma, como Mozart, Beethoven e Bach. Porém gosto de desafios. Um cliente meu do brique, que conheceu meu trabalho esse ano, comprou uma série de peças em diversos momentos. Pensei que eram presentes. Na verdade, ele estava repaginando sua cozinha com as minhas peças. Quem me contou isso foi sua filha. Ele nunca havia feito uma encomenda, sempre comprava o que tinha na banca. No mês passado ele disse que tinha uma caneca de chopp  que destoava completamente do contexto e queria uma que estivesse em sintonia com meu material e que fosse bem Heavy metal.Tenho encomendas que não batem comigo, vou enrolando até me dar conta de que não vou fazer e desisto sem grandes pesos de consciência. Porém, tem algumas que são um desafio para a criatividade. Nada como um bom Google para me atualizar com símbolos associados ao movimento Heavy Metal. Raios, guitarras e caveiras estavam em quase todas as imagens.
Será que deu certo? 



sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Tratadores e dissabores

 De fato é difícil contentar a todo mundo. Me dei conta disso quando comecei a fazer tratadores/bebedouros para pássaros. As pessoas têm opiniões muito diversas de como se relacionarem com esses invejados e livres animaizinhos que transitam por nossos quintais a despeito de qualquer muro. Além de livres, são cheios de cores e cantos. Tenho uma fantasia invejosa dessa vida aparentemente descompromissada. Os clientes do brique são cheios de opiniões quando pensam em adquirir uma das minhas peças: os pássaros não vêm, pois as réplicas de cerâmica os assustam; se o tratador não tem furo, quando chove a água estraga a comida; se tem furo, eles querem colocar água; às vezes a borda é muito alta e às vezes, muito baixa. Já alterei meu protótipo inúmeras vezes. Para os que dizem que balançam muito com o vento, fiz os de parede. 
Agora estou com um modelo mais versátil. O recipiente de água é separado do de comida. Acho que as pessoas têm essas opiniões divergentes pela absoluta e natural impossibilidade de diálogo entre as duas espécies, e aí projetam suas angústias e fantasias. Só sei que aqui em casa os passarinhos não estão nem aí se a comida está sobre um caco de telha ou sobre um lindo tratador de cerâmica, o que eles querem mesmo e encher a pança sem muito trabalho.


Raras vezes consegui que esse vidrado atingisse uma beleza tão exuberante. 

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Vale a pena esperar

  Este exemplar de Cacto já tenho há mais de 10 anos. Nestes anos todos não fez mais do que espichar-se em direção ao céu alguns milimetros por ano e espalhar brotos junto ao solo, além dos milhares de espinhos que parecem renovar-se a cada dia.
Não sou colecionador de cactos, mas admiro muito esta planta encapsulada em sí, resistente a seca dos verões e que não esconde sua agressividade defensiva e rude.

 A delicadeza de suas flores de curtissima duração parece compensar seus 10 anos de silêncio e espetadas...