domingo, 17 de julho de 2011

Mura, uma viagem ao passado

Hoje fomos a  Mura, um pueblo de pedra perdido no meio de um parque nacional, cercado de montanhas.
A cidade foi encravada em uma encosta de montanha. O primeiro registro que se tem dela é do ano de 908.
Fica a 24 quilômetros de Terrassa. A estrada serpenteia montanha acima, lembrando um pouco o caminho para Gramado, via Nova Petrópolis, com a diferença que não tem nehuma daquelas grotescas placas de publicidade que poluem visualmente a paisagem.
Mesmo de carro o trajeto é .demorado. Fico imaginando a aventura da subida de outrora, em lombo de mula, correndo o perigo de ser devorado por lobos, ursos, linces ou ser assaltado por salteadores. A vida de hoje é bem mais fácil.




Casas de pedra descendo a ladeira, todas grudadas, se apoiando umas sobre as outras.


Igreja românica de Sant Martí no fundo do vale




As  oliveiras sempre presentes, compõe a identidade espanhola.



As paredes das casas são muito grossas, um arco com uma pequena varandinha e a porta de entrada nos fundos. Imagino que estas casas sejam frescas no verão e quentes no inverno. Algumas espiadas indiscretas revelam que hoje estão equipadas com todos os confortos da modernidade, mantendo inalterado seu exterior.

Esta parede foi transformada em um museu ao ar livre, exibindo ferramentas antigas.
É claro que não poderia faltar a bandeira da Catalunya.




Inúmeras e charmosas fontes de água potável refrescam os caminhantes.







No fundo do vale um riacho de águas frescas com cardumes de peixinhos nervosos.
A cidade faz parte de um roteiro de trilhas atravessam o parque.



No alto da montanha tremula uma enorme bandeira. Um movimento pacífico que busca a independência da Catalunya. Por todos os lados percebe-se este desejo de uma parte da população. Quando faziamos a trilha no alto do Mont'Serrat havia uma pichação - Catalunya is not Spain.



2 comentários:

Maria Angu disse...

Muito muito belo!

Anônimo disse...

Lindo lugar, impregnado de história e cultura. Imagino o que a tua filha está absorvendo de conhecimentos com tudo isto... não tem preço!

marlene