quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Quem somos nós?


Nossa mãe nos gestou durante milhares de anos. Éramos matéria aquosa de confusos pensamentos e vocações, ansiando por ser. Nosso pai nos retirou de seu ventre e nos recebeu com muito carinho. Deu forma à matéria inerte e nos vestiu com roupas lindas e coloridas. Com um banho de fogo, nos presenteou a eternidade. Não precisamos mais nos esconder no ventre de nossa mãe, submetidas aos rigores das intempéries, agora podemos enfrentar sol e chuva.
Nosso pai nos leva todos os domingos à praça, e nos oferece ao mundo. Mãos nos tocam, apreciam nossa beleza, olhos fascinados com nossas cores brincalhonas e brilhantes. Nosso pai tem cuidado que cada uma de nós seja diferente uma da outra, seja na forma, seja na roupagem. Muitas de nós acabam indo para novos lares, alegrando corações com nossa beleza e delicadeza. Gostamos de enfeitar as casas das pessoas, e oferecer-lhes pela manhã um café revigorante.
Ficamos felizes que nosso pai foi um oleiro que teve a sensibilidade de fazer o melhor que pode de nossa massa. Que bom que não viramos tijolos anônimos recobertos de reboco em um muro qualquer.
Só não resistimos às mãos desastradas que nos remetem à nossa fragilidade essencial. Não aguentamos quedas. Nosso tempo de vida eterna termina e temos que voltar ao ventre materno, onde seremos novamente preparados por outros tantos milhares de anos até que outro nos resgate novamente do ventre da nossa mãe quando estivermos prontas.

3 comentários:

Mariângela disse...

que lindo,que poético,beijo!

Marcos disse...

Rui
Adorei o post!
Já dá para perceber que a coisa aqui vai pegar, parabéns!

Anônimo disse...

oi rui...
atê que ficou bom..heheheeh
muito legal teu blog..abraco
javier