segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Manjar dos diabos


Não estava mais com saco de comer fora e nem de cozinhar grandes receitas. O prato foi acontecendo a medida que encontrava alguns ingredientes.
A minha querida e ausente mulher, Mariângela, deixou na geladeira uma vasilha de feijão cozido sem tempero. Encontrei neste freezer também um pedaço de bacon e duas salchichas de cachorro-quente. Cortei uma cebola e piquei 2 dentes de alho, dourei no óleo de oliva e acrescentei bacon e salsichas. Foi tudo para a panela, junto com 2 folhas de louro. Depois macerei manjerona, alecrim e tomilho com sal e óleo de oliva e joguei no caldeirão. Pensei que ficasse bom também com punhado de folhas de ora-pro-nóbis, que fervi um pouco, antes de jogar na mistura.
Ao levar as cascas para a composteira, me deparei com uma linda beringela que cresce por ali ali mesmo. Cortei-a em fatias e lá se foi para o caldeirão. Enquanto tudo fervia engororobando-se, preparei uma salada com almeirão, tomatinhos cereja e rúcula - tudo da horta.
Até que ficou saboroso. Neide, se quiseres por a receita da Goororoba à la Rui no Come-se, fique a vontade
Rui

5 comentários:

Marcos disse...

Rui
Assim não vale. Mesmo sem sabê-lo, você se utiliza da minha ancestral técnica culinária.
O que nos diferiu é que o resultado final de sua preparaçao foi algo palatável enquanto que a minha, argh...

Mariângela disse...

jesusmariajosé, fiquei passada! calma que quinta estou voltando,com a mala cheia de camarões gigantes e muito peixe do mar, na sexta teremos um rango bom,beijo!

Anônimo disse...

heuaheauhe
meu deus, que negocio é esse?

O.O

carlos

Neide Rigo disse...

Rui, que bom saber que come coisas assim. Pois aqui em casa não será diferente, tá? E se fizer questão, boto até o Marcos para cozinhar pra você. Adorei o verbo gororobar. beijos, N

Anônimo disse...

arggg,iiirrrrrcccc,;ainda bem que a mariangela ta chegando....
javier