sábado, 7 de fevereiro de 2009

Planticídio




















Ganhei de presente de uma amiga uma muda de "saco de padre". Um arbusto de ciclo anual que atinge a altura de aproximadamente 2 metros. Após o florescimento cresce uma esfera fina e oca envolvendo as sementes, do tamanho de uma laranja. Após o amadurecimento a esfera se abre e as sementes são levadas suavemente pelo vento, dependuradas em uma penugem branca, como uma peteca.

Neste ano, no auge de seu crescimento as folhas foram desaparecendo aos poucos, pedaços por pedaços, misteriosamente. Minhas primeiras suspeitas recaíram sobre as formigas, que tradicionalmente na calada da noite vem saquear as minhas plantas. As danadas não respeitam fronteiras, avançam sorrateiras percorrendo longas distâncias com o produto de seu saque nas costas. A luta para manter meu território intacto é árdua, uso todo o arsenal químico disponível nas agropecuárias, além de esconjuros e benzimentos. Mas desta vez, não foram as formigas. Examinando melhor as folhas, descobri lagartinhas em flagrante delito, rasgando as folhas e devorando com fome voraz e insaciável. Infelizmente, elas não eram tão feias quanto as formigas, e não tive coragem de liquidar um parente longínquo das zebras. Desta vez resolvi sacrificar minhas plantas para ver no que ia dar. Finalmente, quando o arbusto estava reduzido a meras estacas verdes, as lagartas gordas como leitões, escorregaram macilentas, à procura de um lugar seguro para a transformação. Esconderijos difíceis de se encontrar como bastidores de portas, laterais de vasos e até no fundo de um aquário abandonado encontrei uma delas.

No final, elas se transformaram em lindas borboletas monarcas. Acho que valeu a pena não interferir no andamento natural das coisas.

3 comentários:

Marcos disse...

Rui
Adorei o poste e a senseibilidade.
Fizeste bem em dar uma chance à vida. Agora compreendo = a tal foto do meu blog se encaixa muito bem nesta sequênlcia!
Abraços

Ivanléo disse...

Olá Rui!

Estou muito à procura dessa planta. Moro em Caxias do Sul/RS e tenho interesse em adquiri-la seja semente, muda pequena ou grande.
O fim é exatamente o descrito por ti.
Por favor, me dê um retorno.
Abraço.
Ivanléo.

Rui disse...

Oi
Ivan Léo:

Estas plantas se auto-semeiam por isso não guardo sementes. Vou ver quando aparececem as mudas. Podes me enviar teu e-mail?
Abraços Rui