quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Aqui "Come-se" também bem

Apesar de eu estar morrrendo de saudades da Mariângela. O nível da cozinha não baixou muito não:
Frango c/ quiabo, beringela tomatinhos e temperos de minha horta. Acompanhado de batatas cozidas e suco de uva.

5 comentários:

Neide Rigo disse...

Rui,
pelo jeito, tem se virado muito bem. Fiquei feliz com a homenagem. Também estou com saudade da Mariângela. Ela deve estar comendo bem melhor que nós, ah, isto deve. Camarõs, lagostas, paellas..
Parabéns e bom apetite! N

Mariângela disse...

uhmmm delícia,hoje almocei no restaurante do mano,como sempre,um super banquete, beijo!

Marcos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rui disse...

Marcos
A gente não pode ser bom em tudo. Eu, por exemplo, não sou muito bom em cirurgias. Só consegui operar um porquinho da índia com sucesso. Ele estava com um enorme abcesso no pescoço. Cortei ele com um bisturi, expremi tudo fora, passei iodo e ele ficou bem. Mas aquele porco ingrato passou a ter medo de mim. Quando me via saia correndo. As outras cirurgias foram fracassadas apesar dos esforços da equipe-médica. Teve um porquinho da índia filhote que quebrou a perna e não consegui arrumar - morreu.Lá em Ivoti apareceu um morcego de asa quebrada - outro fracasso. Lembrei de outro caso de sucesso. quando criança a minha cachorra Pepsi apareceu com um corte profundo na perna. Ela me olhava com aquele olho sem esperança. Os meus recursos e conhecimentos médicos eram muito restritos na época, mas consegui cura-la com banha de porco no ferimento. Teve um outro caso na minha infância. Encontrei um pássaro com um buraco de tiro. Só consegui aliviar a dor, encharquei um chumaço de algodão com éter sulfurico e coloquei junto ao biquinho dele. Logo ele morreu.

Marcos disse...

Rui
Que inveja por essa sua autonomia!
Lembro-me que há anos, quando me propunha a gororobar um pouco lá em casa, a coisa ficava feia.
A Ananda não podia nem ver minha comida e nem mesmo eu, por mais que quisesse mostrar que era pelo menos nutritivo, não conseguia encarar.
Abraços

Obs.: em respeito ao amigo = devidamente corrigido!