segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Polvo - rosa




O saleiro recebendo a visita de um polvo cozinheiro em busca do precioso sal. Ele traz em suas mãos um frango agonizante, um machado para o golpe derradeiro, o livro de receitas de sua avó, uma colher para tirar o sal, uma tábua de carne e mais uma garrafa de cachaça que ele diz que é para amaciar o frango . Tenho minhas dúvidas quando vejo o seu andar cambaleante. E ainda por cima faz a gentileza de fazer um dos seus tentáculos um porta-colher para as pessoas que precisem de uma para retirar o sal.

Fico me perguntando porque estou tão obcecado em fazer peças com polvos. É coisa de meio ano para cá. Acho que no fundo é inveja.
O polvo é só cérebro e 8 mãos, que servem para fazer tudo: amar, andar, nadar, esmagar, abraçar, estrangular, se defender. E se em todas estas ações por ventura vier a perder um dos tentáculos, em pouco tempo ele se regenera.
Se eu fosse um polvo seria um ceramista perfeito. Com 2 mãos tornearia, com outras duas esmaltaria, com a quinta carregaria as peças no forno, a sexta atenderia o telefone e com as duas restantes jogaria cartas com a Laura. E o melhor, simultaneamente.
Mesmo não sendo um me comporto como tal. As vezes me impressiono com a quantidade de atividades que consigo enfiar no espaço de um dia...

8 comentários:

Anônimo disse...

Muito loko esse polvo
agente se ve na sexta

carlos

Rui disse...

Carlos (acho que é tu mesmo)Se não me perdoe
O mais preocupante é que um fruto nunca cai longe do pé que o gerou...
Estou afiando os anzóis

Rui disse...

É tu mesmo. Não tinha visto teu nome no comentário

Anônimo disse...

faltou dizer que cozinha,lava e passa...
abraço,javier

Marcos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rui disse...

Marcos.
Eles são meio caladões mesmo. No começo eles ficavam meses sem eu saber para que vieram. Simplesmente estavam meio a"deriva".
Assim sem mais nem menos tomaram rumo. Tem que ter paciência...

Rui disse...

Javier.
Sabe que é uma boa ideia!
Agora que Laura e Mariângela estão de férias seria uma ajudinha.Ele poderia ajudar na faxina também. Falando nisto, tenho que te contar uma coisa rápida: Hoje veio a nossa faxineira ocasional, Simone. A Mariângela volta na quinta e ela virá para organizar o muquifo na quarta. Ela tirou os calçados para entrar em casa.E Tu não podes nem imaginar o que ela fez na saída. Ela limpou os pés no tapete antes de calçar os sapatos e ainda por cima comentou meio desolada - É... esta casa está precisando mesmo de uma faxina.Eu quase explodi de tanto rir

Marcos disse...

Rui
O irmaozinho deste aí está se dando muito bem por estas bandas! Fica me olhando o tempo todo enquando tomo o meu chá!
Só não descobri bem qual é o seu talento (para ser sincero ele é meio caladão, sabe!). O seu aí já ví que manda bem na cozinha. Penso ensinar-lhe a digitar os dados da consulta enquanto examino os pacientes. Assim posso focar minha atenção no melhor do trabalho! Vamos ver se funciona.
Abraços