quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Credibilidade à beira do precipício

Depois de receber o e-mail de minha amiga Neide e sentir sobre mim uma leve alusão de que poderia eventualmente ser um falsário, resolvi resolvi prosseguir na investigação.



"Oi, Rui, se eu não te conhecesse diria que os canudinhos foram construídas por mãos humanas com o intuito de nos confundir, daquelas farsas do tipo cacos de vidro que pingam dos olhos da criança ou da santa. Mas a natureza é fantástica também. São casulos de borboletas verdes e lindas. Será? bjs, n "


Peguei um dos charutinhos de folhas e comecei a desmancha-lo. Elas tinham um forte cheiro de chá verde. Quando cheguei ao fundo dele encontrei uma caminha com pólen amarelo com aroma e texturas muito parecidos com o pólen da abelha Jataí. Não tive coragem de provar. Imagino que esta casinha linda tenha sido feita por uma mãe abelha muito dedicada. Alí colocou seus ovos



Após ela ver a foto de cima consegui resgatar minha abalada credibilidade. Neide sugeriu que a arquiteta da obra poderia ser uma abelha deste site:http://zoologie.umh.ac.be/hymenoptera/photo_album/10_Megachilidae/imagepages/image9.html
Porém desta vez eu que não estou muito convencido. Talvez estas abelhas tornaram se amigas das saúvas e estão fazendo um trabalho voluntário para elas, dando uma forcinha no estoque de folhas

3 comentários:

Neide Rigo disse...

Rui, pelo frescor verdejante das folhas, devo lhe dizer que deve ter destruído uma célula ativa e recém-construída. Ou seja, a pobre abelhinha fez o casulo com as folhinhas do seu pé de jambolão, saiu para buscar mais pólen e quando voltou, eis o que encontra... tsh, tsh, tsh.
bjs,n

rui disse...

Se não fosse por tuas infames suspeitas nã tria cometido esta chacina.

Neide Rigo disse...

Mas não se preocupe, não. Elas são trabalhadeiras. bjs,n